28 de novembro de 2012

Água Alta de Veneza

Veneza é uma cidade encantadora situada na região de Vêneto e banhada pelo mar Adriático.

A cidade é um dos destinos mais procurados da Itália e é muito famosa por seus pontos turísticos como a Basílica de São Marcos, a Ponte dos Suspiros, a Ponte Rialto, além de todos os seus canais e os passeios de gôndola.

Basílica de São Marcos


Praça de São Marcos

Ponte dos Suspiros


Ponte Rialto

A cidade recebe turistas o ano todo, mas é muito importante saber que geralmente nos meses de outubro e novembro ocorre a "água alta". Esse fenômeno acontece por conta das marés altas, no qual a água é superior a 90mm acima do nível normal da maré.

É necessário tomar cuidado nessa época do ano pois os pontos mais baixos de Veneza como a Praça de São Marcos, por exemplo, fica toda alagada.




Siga o Histórias para Viajar nas redes sociais:
        

24 de outubro de 2012

Amsterdam: dos lindos canais à interessante história de Anne Frank

A Holanda é um país encantador e não podemos deixar de falar da cidade de Amsterdam.

Quando chegamos na cidade era uma linda tarde de primavera e a primeira coisa que fizemos foi o maravilhoso passeio de barco pelos canais de Amsterdam. Fomos  até a Central Station, Prins Hendrikkade 25 e optamos por fazer o tour com a empresa Lovers.


passeio durou 1 hora e foi inesquecível. Sentamos do lado de fora do barco e já conseguimos conhecer bem a cidade.





Confira o vídeo que fiz no canal do Histórias no youtube do meu passeio de barco:


Capital da Holanda, Amsterdam é uma cidade linda e interessante. Com suas casas tortas e um mundo de bicicletas espalhadas por toda a cidade. A Veneza do Norte, como é chamada, oferece aos turistas uma beleza encantadora e apaixonante.





Uma curiosidade que poucos sabem é que todos os canais da cidade são artificiais. Foram construídos no início do século XVII.



Como em todo lugar do mundo encontramos brasileiros, começamos a conversar  com um casal da região sul do Brasil que nos deu uma dica sensacional: Conhecer um pouco mais de história na casa de Anne Frank.

Como já era final de tarde, após o passeio de barco resolvemos que iríamos jantar e depois voltaríamos para o hotel. Para o próximo dia, já tínhamos muitos planos para conhecer mais dessa encantadora cidade e também, é claro, iríamos à casa de Anne Frank.
No dia seguinte após um belíssimo passeio para ver os moinhos da cidade, fomos visitar primeiramente a fábrica de diamantes Coster Diamonds para depois seguirmos rumo ao museu Anne Frank.


A Coster Diamonds, fundada em 1840, recebe muitos turistas que têm a oportunidade de saber um pouco mais sobre a história do diamante, além de poder experimentar e comprar uma belíssima joia.





Quando saímos de lá, já era hora do almoço e como estávamos dispostas a ficar o tempo que fosse necessário na Casa de Anne Frank, decidimos que seria melhor almoçar.

Mas o que e onde almoçar ?!!!

Quando chegamos em uma cidade nova, uma das maiores dificuldades é encontrar algum restaurante interessante.

Decidimos ir rumo à Casa de Anne Frank, contando com a sorte de encontrar no meio do caminho um lugar bem legal para comer.

A princípio vimos um restaurante até simpático, mas o cardápio não tinha pratos conhecidos.

Então continuamos a caminhada apostando na busca deste "nosso restaurante".

Entramos em um shopping para ir à praça de alimentação. Acontece que na maior parte da Europa, shopping é um lugar exclusivo para fazer compras de roupas e acessórios e não tem praça de alimentação (encontramos praça de alimentação em shopping apenas em Portugal). Conclusão: ainda não foi dessa vez. Mas não desistimos, porque a esta altura, já estávamos mesmo com muitaaaaa fome.

Até que finalmente encontramos!!!!!!

O lugar se chama Wok to Walk. É uma rede de restaurante fast food de comida chinesa. Você escolhe entre arroz, massa e mistura de vegetais. Depois adiciona os diversos ingredientes do menu. E por último, escolhe o molho de sua preferência. Uma delícia!!!!!

Escolhemos arroz, camarão e molho shoyo!!!



Agora sim estávamos prontas. Iríamos diretamente para a maravilhosa Casa de Anne Frank.


A casa de Anne Frank é a casa que Anne e sua família viveu desde 1933 até 1944.

Anne Frank foi uma alemã de origem judaica que passou a maior parte de sua vida em Amsterdam. Ela é conhecida mundialmente por ter escrito um diário durante o tempo que ficou escondida em um anexo da casa pela perseguição aos judeus.


Infelizmente em 1940 os alemães invadiram os Países Baixos dificultando a vida de todos os judeus.

A família Frank escondeu-se em um anexo dentro da casa em que morava e lá viveu por dois longos anos. Muitas coisas aconteceram antes do anexo secreto ser invadido pela polícia alemã em 4 de agosto de 1944.
Anne Frank escreveu seu diário enquanto morava no anexo. O diário mostra o cotidiano das pessoas que viviam lá.

Anne morreu em 1945 de tifo (nome genérico de várias doenças infectocontagiosas). Seu pai, Otto Frank foi o único sobrevivente da família e foi ele quem entregou o diário de Anne para ser publicado.



A casa fica na Prinsengracht 263 e recebe turistas do mundo inteiro. A casa é fascinante!!!! E a história, ainda mais!!!

Durante o tour escutamos áudios, vimos vários vídeos e ficamos sabendo mais dessa magnífica história. O lugar é extremamente interessante e comovente.


Apenas uma observação: Ao visitar a casa, o anexo que a família Frank viveu é de difícil acesso  por causa das escadas íngremes. Portanto quem tem dificuldades de locomoção deverá se atentar a esse detalhe.

Também não se pode filmar ou fotografar no local.

Ao comprar seu ingresso você receberá um guia em seu idioma. Assim todos poderão acompanhar tudo o que se passou na casa dessa garota tão especial chamada Anne Frank.


Estátua de Anne Frank próxima ao museu




Para quem quiser comprar o livro " O Diário de Anne Frank", dentro do museu há uma livraria que vende o livro em vários idiomas.

Ir ao museu é uma experiência incrível que nos remete ao passado com tanta emoção.



Pesquise seu hotel aqui!
   

Siga o Histórias para Viajar nas redes sociais:
        

17 de outubro de 2012

Uma livraria chamada The Travel Bookshop

Hoje assisti pela milésima vez o filme Notting Hill, em português: Um Lugar Chamado Notting Hill. O filme me fez lembrar do dia em que estávamos em Londres e resolvemos ir ao encantador bairro de Notting Hill (sim Notting Hill é um bairro de Londres e não uma cidade como muitos pensam) a procura da livraria do filme.

O ano era 2010, era inverno e tínhamos andado muito por Londres durante o dia todo, estávamos tão cansadas....mas mesmo assim nós e alguns amigos decidimos conhecer o bairro, em especial: A LIVRARIA DO FILME.

Descemos na estação de metrô Notting Hill e antes de irmos rumo à livraria entramos em uma loja para tentarmos comprar uma bota, pois a minha acabou furando, de tanto andar por Londres, e meus pés estavam encharcados por causa da chuva.


Eu mesma não consegui comprar novas botas, apenas uma amiga que estava com a gente e encontrou uma por apenas 5 libras. 
Já estava escuro e não podíamos perder tempo, queríamos muito encontrar a livraria.

Não tínhamos GPS, então foi meio difícil encontrarmos a rua certa.

Estávamos a procura dos números 13-15 Blenheim Crescent. Nesse dia chuvoso, entramos em algumas lojas para perguntarmos onde ficava a livraria do filme, mas muitos não sabiam.

Até que nosso amigo perguntou para um morador de Notting Hill que estava voltando do trabalho. Nossa salvação!!!! Muito simpático foi conversando conosco e nos levou à famosa rua.

Já era noite, e quando chegamos na livraria a vendedora estava fechando, mas não nos importamos. Conseguimos tirar nossas fotos e sentir a emoção de estar na livraria onde foi inspirado o cenário do filme de Julia Roberts e Hugh Grant .



  
Infelizmente, em 2011 a livraria fechou após 32 anos de funcionamento. Motivo: O proprietário da The Travel Bookshop mora na França há 25 anos e seu único filho decidiu não manter o negócio.

Mas não fiquem tristes!!! A The Travel Bookshop foi vendida, mas continua sendo uma livraria, só que agora recebe o nome de The Notting Hill Bookshop.




O que podemos dizer é que Notting Hill é um bairro que vale a pena conhecer. Um bairro charmoso, caracterizado por suas belas casas, feira de artesanato e antiguidade, o mercado de Portobello, restaurantes, pessoas descoladas.....Tudo muito lindo. Exatamente a mesma beleza que o filme nos mostra.




Siga o Histórias para Viajar nas redes sociais:
        

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...